sábado, 18 de fevereiro de 2017

O ARMANDO VIVE VIVA A BICA!


O ARMANDO VIVE!
VIVA A BICA!

PAU É PAU
BICA É BICA!

EU VOU BATER PRA TÚ
PRA TU BATERES PRO ARTHUR
MULHER É BICHO BOM
MAS ÀS VEZES DÁ CHABU!

COM DINHEIRO OU SEM DINHEIRO
SOU BIQUEIRO O ANO INTEIRO!

TAPA O BURACO AQUI
TAPA O BURACO LÁ
CHEGOU A HORA DA MINHA BICA LEVANTAR!

O CARNAVAL DO ARROMBA
SÓ NA MINHA BICA!

AMOR DE BICA 
TANTO BATE ATÉ QUE FICA!

O ARMANDO É PATRIMÔNIO CULTURAL
MAS CONTINUA METENDO A BICA
EM POLÍTICO LALAU!

TRINTA ANOS DE BICA 
É MUITA BICA E MUITO AMOR
MUITA COISA POR AQUI PASSOU!

RODA, RODA, VIRA
RODA, RODA, BEM
A MINHA BICA
NÃO DÁ MOLE PRÁ NINGUÉM!

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

LANÇAMENTO DO CD "BICA 2017", ESQUENTA GERAL NO BAR DO ARMANDO



A maior e melhor banda de carnaval de rua de Manaus, a Banda Independente da Confraria do Armando - BICA, fará o seu esquenta geral, amanhã (quinta-feira), com o lançamento do CD "BICA 2017", este ano terá duas capas, com edição limitada - serão três marchinhas atuais e mais vinte antigas.

Estará a venda no Bar do Armando (balcão) e com o musico e compositor Adal Deus Te Abençoe (celular 99116-8804), ao preço de R$ 10,00 (dez reais).





A nossa BICA surgiu em fevereiro de 1987 – Na reunião histórica de fundação da BICA estavam presentes os compositores Celito Chaves e Afonso Toscano, a engenheira civil Heloísa Chaves, o jornalista Deocleciano Souza, o advogado Francisco Cruz, o professor Mário Jorge Buriti e o músico Manuelzinho Batera.

Depois, dramaticamente, dada a urgência de levantar grana para colocar o bloco na rua, os demais frequentadores do bar assinaram o Livro de Ouro na condição de fundadores, entre eles, Mário Adolfo, Eduardo Gomes, Carlos Dias, Inácio Oliveira, Orlando Farias, Isaac Amorim, Jorge palheta, Arnaldo Garcez, Aldisio Filgueiras, Marco Gomes, Simão Pessoa, Amecy Souza, Rosendo Lima, Rogelio Casado, Nestor nascimento, Ary de Castro Filho, Felix Valois, Jorge Álvaro, Jomar Fernandes, Sérgio Litaiff, Lino Chíxaro, José de Anchieta, José Luiz Klein, Américo Madrugada, Anselmo Chíxaro, Guto Rodrigues e Torrinho.

O livro Amor de Bica, conta as histórias e as estórias da banda carnavelesca mais debochada de Manaus – escrito, em 2005, pelo Mário Adolfo, Orlando farias, Simão Pessoa e Marco Gomes.

Era apenas uma brincadeira que reunia senhores de cabelos grisalhos, pessoas do povo, doutores do judiciário, desocupados, jornalistas, poetas, músicos, estudantes e professores de filosofia do “CAUA” da Universidade do Amazonas.

Ela foi criada aos moldes da “Banda de Ipanema”, do Rio de Janeiro, com banda de metais e dos carnavais do Recife, com os bonecos gigantes.

Hoje, com 30 anos redondinhos, a nossa BICA se consolidou, fazendo parte do calendário cultural da cidade de Manaus.

A BICA possui um novo formato, com grades de proteção desde a Rua Dona Libânia até a Avenida Eduardo Ribeiro, contando com barracas credenciadas, deixando muito espaço para vocês se divertirem a vontade.

O espaço é dotado de dezenas de banheiro químicos, colocados estrategicamente ao lado da Igreja de São Sebastião, Praça de São de São Sebastião e Teatro Amazonas, como forma de atender aos nossos “Biqueiros” e, preservar os nossos monumentos históricos.

Agradecemos de coração o apoio do Governo do Estado do Amazonas, através da Secretária de Cultura, Polícia Militar, Policia Civil e Corpo de Bombeiros e, da Prefeitura de Manaus que, através de várias secretárias, autorizou a realização desse evento.

Para segurança dos nossos foliões, contamos com a colaboração de vários seguranças contratados e, por militares da nossa policia militar do Amazonas, para coibir brigas, furtos e danos ao patrimônio público.

Pedimos a colaboração de todos - vamos cuidar com carinho da Igreja de São Sebastião, do Teatro Amazonas, da Praça de Sebastião e todo o seu entorno.

Arte: Liminha 


BLOGDOROCHA: CULTURA AMAZONENSE E PARAENSE

BLOGDOROCHA: CULTURA AMAZONENSE E PARAENSE: A cultura do povo baré e tupinambá, representando pelos amazonenses e paraenses, possuem uma afinidade muito grande. As c...

BLOGDOROCHA: OS FORTES DE PROTEÇÃO DA AMAZÔNIA.

BLOGDOROCHA: OS FORTES DE PROTEÇÃO DA AMAZÔNIA.: A nossa Amazônia sempre foi cobiçada por outros povos, tanto que no século dezessete, foram construídos vários Fortes para a proteção do nos...

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

BLOGDOROCHA: VIVA A CERVEJA!

BLOGDOROCHA: VIVA A CERVEJA!: Postagem em Homenagem a Escola de Samba Balaku Blaku que ficou em terceiro lugar no desfile do carnaval de Manaus em 2012, com o enredo...

RIO NEGRO & SOLIMÕES

Fiz essa gravação tempos atrás. Certa vez, ao participar de um protesto no Encontro das Águas, contra a construção de um porto nas Lajes (o movimento SOS Encontro das Águas, da qual faço parte, saiu vitorioso), passei horas e horas tomando banho bem no encontro dos rios (mesmo contra as recomendações da Marinha do Brasil). Os moradores mais velhos daquela região, falam que é muito perigoso por existirem Piraíbas (chega a medir três metros e 150 quilos, carnívoro, come até gente, segundo dizem os caboclos). Eu, hein!

Enviado em 21 de nov de 2011 YOUTUBE - JOSE MARTINS
Domingo passado resolvi sair um pouco da cidade e, dei um pulo até o Careiro da Várzea -- para quem não conhece, ele é um município brasileiro do Estado do Amazonas, pertencente à Região Metropolitana de Manaus e, como o próprio nome o define, ele é tipicamente de várzea (95%).

domingo, 12 de fevereiro de 2017

BLOGDOROCHA: OS CHEIROS

BLOGDOROCHA: OS CHEIROS: Segundo o dicionário do Aurélio, o cheiro é uma impressão produzida no olfato pelas partículas odoríferas, podendo ser também traduzido co...

DRA. AMANDA SOARES - ORTODONTISTA




https://www.facebook.com/ortoamandasoares

Telefone Celular: WhatsApp +55 92 8236-1188 

Amigos do BLOGDOROCHA, esse é o linque da página profissional da minha filha, ela é a Dra. Amanda Soares, ortodontista renomada (segundo lugar da sua turma da UFAM), oficiala do exército brasileiro (em processo de baixa, depois de seis anos servindo a nossa pátria na fronteira do Brasil). 

Ajude a divulgar o seu trabalho, faça compartilhamentos e, caso esteja necessitando de serviços de ortodontia, marque uma consulta - o consultório fica no Millennium Shopping Medical Tower. 

Possui um trabalho muito ético, eficaz e preços excelentes! Atende, também, a convênios de empresas.

Segundo o site da Colgate Centro de Cuidado Bucal:

"Ortodontia é uma especialidade odontológica que corrige a posição dos dentes e dos ossos maxilares posicionados de forma inadequada. 

Dentes tortos ou dentes que não se encaixam corretamente são difíceis de serem mantidos limpos, podendo ser perdidos precocemente, devido à deterioração e à doença periodontal.


Também causam um estresse adicional aos músculos de mastigação que pode levar a dores de cabeça, síndrome da ATM e dores na região do pescoço, dos ombros e das costas. 


Os dentes tortos ou mal posicionados também prejudicam a sua aparência.



O tratamento ortodôntico torna a boca mais saudável, proporciona uma aparência mais agradável e dentes com possibilidade de durar a vida toda.


O especialista neste campo é chamado de ortodontista. Os ortodontistas precisam fazer um curso de especialização, além dos cinco anos do curso regular"  







sábado, 11 de fevereiro de 2017

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

CAOS NA SAÚDE DO AMAZONAS


Ouvia, lia e assistia, diariamente, as mídias mostrando o estado lamentável da saúde em nossa cidade, depois, esquecia tudo – no entanto, quando precisei dos SUS, senti na pele, como os serviços de saúde estão mais doentes do que o pobre mortal aqui.

Passei um ano acordando de madrugada, para tentar ser atendido na UBS Gilberto Mestrinho, na Cidade Nova – desisti, pois existe um sistema chamado SISREG (Sistema de Regulação) que é caso de polícia, pura enganação do prefeito atual.


Para os senhores terem uma ideia, fiz particular todos os exames de próstata, pois nunca era chamado, via telefone, para ser atendido – graças a Deus, recebi ajuda de amigos, para fazer exames e cirurgias de hérnias, pois caso ficasse esperando a PMM ainda estaria sofrendo de dores até hoje!


Depois de operado, recebi uma ligação, informando (depois de um ano) que estava liberado a minha consulta! Respondi a atendente que já tinha feito tudo particular e que já estava operado!


No hospital em que fiz as cirurgias, o governo do Amazonas não paga o fornecedor de refeições faz uns três meses, os funcionários não aguentam mais almoçar somente frango, todo santo dia, pois o empresário tem bancado com recursos próprios a alimentação de milhares de pacientes e colaboradores desse e outros hospitais do Estado.


Para retirar os pontos, passei pelo SPA e Policlínica Dr. Danilo Corrêa, na Avenida Noel Nutles, na Cidade Nova – o atendimento é péssimo, além de estar praticamente fechando as portas, por não terem nem o básico para o atendimento de urgências, imagem o resto.


O jeito foi me encaminhar a UBS Gilberto Mestrinho, também, na Cidade Nova – fui atendido muito bem por todos, porém, não tinham gases e outros materiais, além de alguns aparelhos estarem com defeitos, mesmo assim, os pontos foram tirados – os demais pacientes eram aconselhados a voltarem ou adquirirem gases em farmácias para serem atendidos!


Esse é apenas um pequeno relato do que senti nos últimas duas semanas, em nossa cidade Manaus, imaginem o que está ocorrendo no interior do Amazonas!

Apesar desses contratempos, quero agradecer a todos os funcionários, enfermeiros e médios que me atenderam – o problema do caos na saúde não é culpa deles, mas, dos governantes estadual e municipal – esses culpam a crise do país. É isso ai.

BLOGDOROCHA: CASA DO ESTUDANTE UNIVERSITÁRIO DA UFAM

BLOGDOROCHA: CASA DO ESTUDANTE UNIVERSITÁRIO DA UFAM: Fica na Rua Barroso nº 267, centro antigo de Manaus, o prédio foi cedido, em 1947, para abrigar a sede da União dos Estudantes do Amazonas (...

INICIATIVA POPULAR - PEC - NÃO PERMITIR QUE A ESCOLHA DE UM MINISTRO DO STF SEJA POLÍTICA

Amigos,
Eu acabei de criar minha própria petição e espero que possam assiná-la. Ela se chama: AVAAZ.org: Não permitir que a escolha de um Ministro do STF seja política.
 
Eu realmente me preocupo sobre este assunto e juntos nós podemos fazer algo a respeito disso! Cada pessoa que assina nos ajuda a chegarmos mais próximo do nosso objetivo de 100 assinaturas - será que você pode nos ajudar assinando a petição?


Clique aqui para ler mais a respeito e assine:

  https://secure.avaaz.org/po/petition/AVAAZorg_Nao_permitir_que_a_escolha_de_um_Ministro_do_STF_seja_politica/?launch

Campanhas como esta sempre começam pequenas, mas elas crescem quando pessoas como nós se envolvem -- por favor reserve um segundo agora mesmo para nos ajudar assinando e passando esta petição adiante.


Muito obrigado, 


Jo


Estamos "carecas" de saber que, os atuais Ministros do STF estão na Corte por nomeações políticas e, não, totalmente técnicas, pois a CF/88, determina a escolha "dentre cidadãos" com mais de 35 e menos de 65 anos de idade, de notável saber jurídico e reputação ilibada e "nomeados pelo Presidente da República", após aprovação da escolha pela maioria absoluta do Senado Federal.
O escolhido vai ser uma extensão do Poder Executivo e por mais que tente ser imparcial, sempre que puder vai passar a mão na cabeça de quem o indicou.
Sou leigo no assunto, mas, como o prato do dia das mídias é a nomeação do Ministro Alexandre de Morais para a vaga do Teori, acho mais sensato os políticos ou a iniciativa popular proporem uma PEC  para alterar esse artigo, determinando que os pretendentes venham de uma lista oriunda do Ministério Público Federal, CNJ e OAB, com a escolha através do colegiado do STF, dessa forma, acabaria com essa aberração
.

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

ARARA-CANINDÉ NOS CÉUS DE MANAUS



Sou da urbe, vivi décadas em minha cidade Manaus, considerada a capital da Amazônia - por incrível que pareça, somente tinha visto Araras em cativeiros - nos últimos anos, tenho o prazer e a felicidade em vê-las sobrevoando os céus da Cidade Nova e nos arredores do Conjunto dos Jornalistas. 

Andam em pares, pois são casais que ficam juntos ate que a morte os separe. 


Segundo a Wikipédia “Etimologia "Arara" provém do tupi a'rara. "Canindé" é oriundo do tupi kanimé. "Arari" provém do tupi ara'ri

Descrição

Os indivíduos desta espécie pesam cerca de 1,1 quilogramas e chegam a medir até noventa centímetros de comprimento, com partes superiores azuis e inferiores amarelas, alto da cabeça verde, fileiras de penas faciais negras sobre o rosto glabro e branco, olhos de íris amarela e garganta negra. Têm uma longa cauda triangular, asas largas, um bico escuro grande e forte e as típicas patas zigodáctilas dos psitacídeos, com dois pares de dedos opostos, o que lhes dá grande destreza para escalar árvores e manipular os alimentos. Seu grito típico é um RRAAAAK gutural e áspero com entonação ascendente, mas podem produzir diversas outras vocalizações mais anasaladas e musicais".


Isso é muito bom, em tê-las de volta, pois a legislação é muito severa em sua proteção, bem como, as novas gerações possuem uma formidável consciência ambiental, além de ainda existirem alguns fragmentos de florestas, onde elas encontram abrigo, alimentos e podem ate se reproduzir. 


Podem ser encontradas, também, em bandos, no Conjunto Acariquara, Campus da UFAM e Museu da Amazônia (Cidade de Deus) e, alguns casais, passeando pelo centro da cidade.


Segundo o Mário Cohn-Half, pesquisador do INPA “as araras-canindé começaram a aparecer, em grande quantidade, em Manaus, em outubro do ano passado. Não da para saber o que trouxe essa espécie de arara, que não aparecia na cidade há pelo menos dez anos ou mais. Esse é um evento misterioso. Não está claro se o que estimula é a abundância de alimento onde aparecem ou a escassez em seu lugar de origem ou as duas coisas juntas”, observou.


Quem venha as Araras, serão bem-vindas, afinal, somos todos filhos da floresta!

Fonte  Foto:
https://pt.wikipedia.org/wiki/Arara-canind%C3%A9 

BLOGDOROCHA: UNIDOS DA SELVA

BLOGDOROCHA: UNIDOS DA SELVA: O Mauro, um leitor do nosso blog, deixou uma mensagem que merece registro “ Quando morei em Manaus, nos anos 1970, havia uma escola de sam...

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

VISITA AO HOTEL DE SELVA ARIAÚ TOWER


Na edição de hoje do jornal “A Crítica”, apareceu na primeira página fotografias mostrando o estado de abandono daquele que já foi o maior e melhor empreendimento turístico que contribuiu para a divulgação do Estado do Amazonas no Brasil e exterior, o Hotel Ariaú Tower – essa matéria levou-me ao passado, aonde em tempos idos tive o privilegio de passar um final de semana naquele espetacular hotel de selva.


O advogado e empresário Francisco Ritta Bernadino era dono do Hotel Mônaco, centro de Manaus, onde hospedou a equipe do oceanógrafo Jacques Cousteau, na sua primeira expedição pelo Rio Amazonas – no encontro dos dois, o francês visionário previa a preocupação do mundo com o meio ambiente e, seria uma boa sacada construir um hotel onde as pessoas tivessem contado direto com  a floresta.


O Ritta já tinha uma grande experiência no ramo de turismo, na década de 1980, além de ter passado quase duas décadas trabalhando no Centro de Instrução de Guerra na Selva (CIGS, do Exército brasileiro), em decorrência disso, acatou o conselho do Cousteau.


Foi escolhido o Rio Ariaú, no Rio Negro, para a construção de uma torre com quatro apartamentos e um restaurante que funcionava em uma barca – com passar do tempo, no seu auge, entre 1995 e 2001, possuía um complexo de torres, recebendo três mil turistas (90% de norte-americanos) e faturamento mensal de um milhão de dólares.


Ano passado, o proprietário passou por sérios problemas de saúde, deixando a administração com os familiares, os quais fizeram uma má gestão empresarial e provocando divergências entre eles – o hotel já vinha sofrendo com a queda brusca da procura por parte dos americanos, aliado com os problemas acima, acumulou dívidas (trabalhistas e outras) no valor de 20 milhões de reais e com a Petrobras Distribuidora, na ordem de 1,5 milhão de reais, forçando o fechamento do hotel.


Fiz um único passeio naquele hotel de selva, quando estava no auge – a minha esposa, na época, trabalhava na Secretaria de Cultura, onde ganhou um sorteio de final de ano, para uma estada de duas pessoas naquele maravilhoso hotel.



Era uma tarde de sábado, fomos para o Hotel Mônaco, onde nos juntamos a um grupo de pessoas – na hora da partida, o gerente recebeu um telefonema da loja do Aeroporto Eduardo Gomes, para esperarmos a chegada de dois turistas ingleses, o que atrasou bastante a saída.


No cais do Porto de Manaus (Roadway) partimos numa barca catamarã, de propriedade do hotel – a viagem durou em torno de duas horas, foi num piscar de olhos, pois o Rio Negro é exuberante na sua cheia, permitindo uma viagem prazerosa para os nativos e, espetacular, para os estrangeiros, segundo o relato de um casal gay de turistas, um era brasileiro e morava fazia anos em Londres, em companhia do inglês que nada falava de português.


Formamos um pequeno grupo coeso, eu e minha companheira, um casal de funcionário do hotel de Manaus e os dois turistas ingleses, criamos um laço muito grande, pois somente havia separação na hora de dormir nos apartamentos.


Chegamos ao anoitecer no hotel, onde fomos muito bem recebidos pelos funcionários, ainda deu tempo para presenciar uma cena engraçada, no píer, com uma dezena de macaquinhos atacando um grupo de turistas japoneses, mexendo nos bolsos das camisas e calças, abrindo os zíperes das mochilas, tirando os óculos e tudo o que encontravam pela frente, deixando os japas em pavorosa e ao mesmo tempo, achando bastante graça daquela situação inusitada para eles.


Fomos logo orientados pelo guia do hotel, para não tentar reagir ao ataque dos animais, pois eles poderiam ferir alguém, sendo prudente não deixar nenhum objeto a mostra e não alimenta-los – o guia falou que, certa vez, um macaco tirou a carteira porta-cédulas de um americano, pulou para um galho e começou a jogar no rio todas as notas de dólares e cartões de crédito, um funcionário avisou que ali estava empestada de piranhas vorazes; quando o turista deu as costas, a galera pulou com roupa e tudo dentro do rio para pegar as verdinhas!


Quando caminhávamos em direção a nosso apartamento, no ultimo andar de uma torre, pude observar a famosa “Casa do Tarzan”, um apartamento construído na copa da uma imensa árvore -, havia, também, na passarela, uma piscina suspensa, nunca tinha visto uma assim – antes de chegar, um bando de Quatis começaram a nos seguir em toda direção, antes da entrada principal, tive que contrariar as orientações do guia e, ameacei chutar aos animais para dispersá-los, eles não se intimidaram e correram em nossa direção, foi um Deus no acuda, corremos e entramos assustados no quarto.


À noite, saímos às sete horas para jantar - no portão, lá estavam os danados dos Quatis, começando a nos seguir, novamente, o jeito foi correr em debandada e, para complicar, os morcegos passavam rentes as nossas cabeças, pensem num sufoco total.


No restaurante, reunimos com a nossa turma em uma imensa mesa de madeira, foi tudo de primeira, com exceção da cerveja que tomei, pois não fazia parte do pacote que ganhamos – tomei um susto danado, o preço era cotado em dólar americano, caríssima para um pobre mortal manauara. 


Depois do jantar, entramos numa canoa motorizada, com guia bilíngue, fomos a uma focagem de jacaré, aquilo para nós não era novidade, por sermos da terra, no entanto, a imensa escuridão, o céu totalmente estrelado e o vento fresco na nossa testa, foram itens que valeram a pena o passeio noturno - para fechar a noite, fomos tomar mais cervejas “a peso de ouro”.


Acordamos cedo da manhã, fomos fazer uma caminhada pelo complexo, resolvemos subir uma imensa torre com mirante -, nos primeiros degraus, um macaco prego se abraçou no meu pescoço pela parte detrás, fiquei estático e envergonhado com aquela situação – a minha sorte foi quando desceu uma linda americana de olhos azuis, o tarado se engraçou da moça, pulando e se agarrando em seus quadris.  


Depois do passeio, fomos tomar um café padrão internacional, com tudo do bom e do melhor – enchido o bucho, entramos num barco pequeno, para fazer um passeio pelas matas alagadas e visitar uma comunidade ribeirinha.


Assistimos a uma partida de futebol de campo, conhecida como “arranca toco”, da cabeça para baixo pode chutar tudo – visitamos uma horta comunitária, onde algumas plantas possuem nomes iguais aos remédios das farmácias.


Ensaiei quebrar um ouriço de castanha da Amazônia, com o machado, os turistas ficaram filmando as minhas habilidades, pois é complicado o serviço – muitos tentaram e, nada!

Para felicidade geral da galera, encontramos um boteco com cerveja geladinha, custando um terço do preço do hotel – ai foi graça, dispensamos o restante do passeio e ficamos colados ao balcão, bebendo e jogando sinuca.


Ao retornar, o almoço já estava servido, um manjar dos deuses – após a sesta, fomos orientados a levantar acampamento e entrar no barco de volta para Manaus – o casal de turista inglês foram se despedir da gente, pois tinham gostado tanto que resolveram passar uma semana no hotel de selva.


A volta foi gostosa e tranquila e, para fechar com a “chave de ouro”, passamos o final de tarde assistindo do barco um belíssimo pôr-do-sol -, chegamos à boca da noite no cais do Roadway, com o espírito leve e o corpo descansado.


Espero que os familiares do Ritta Bernadino se entendam e, voltem a reabrir o nosso Hotel Ariaú Tower – caso não for possível, ficarão somente as lembranças do final de semana que passei por lá. É isso ai.

Foto:


http://www.viagensecaminhos.com/2015/08/manaus-capital-da-floresta-amazonica.html  

Fonte (primeira parte): Jornal A  Crítica, edição de  05 do corrente.